27.2.09

ponte

atravessa tantas pernas
atravessa a música, sol na cabeça
eu de óculos escuros quase ouso:
te olho por trás depois aceno sorriso
e exibo a flor no cabelo

quero um céu liso como agora
purpurina azul (brilha no seu tempo)
nuvem rala e lenta, balão de gás
seu olhar escapa inquebrável
e atravessa as pernas, a música
repousa no meu, inquebrável
como agora

3 comentários:

Edgard Profecter disse...

essa ponte parece levar até um outro carnaval, um que nao acaba

Gabriela disse...

fazia tempo que não vinha aqui e estou derretida nesse mar de belezas...
tudo lindo

parabéns

Escuta. disse...

Escreve pra mim um conto-poesia-roteiro de amor. Eu filmo, juro que filmo.