6.2.09

música pra dormir

acompanha com movimentos
da boca a letra da música
articula sílaba palavra verso
faz cara de estrela cara de
vestido de gala, microfone antigo
uma pausa dramática
olhos rasantes sobre a platéia:
o refrão às vezes maltrata
quem não está preparado
mas nem liga, cabeça erguida
ensaia um gran finale, foco de luz
no centro do palco. logo logo
apagam tudo logo logo você vai
deitar dormir sossegada
sem esse murmúrio
essa boca que mexe, exata
às vezes parece maluca
cantando encenando de pé na cama
nunca entendeu essa história
de contar carneirinhos

2 comentários:

Rodrigo Hellmuth disse...

fala Diana, parabéns pelo blog, me inspira e conforta, já te leio a algum tempo e sempre rio quando acabo.
Obrigado pelos sorrisos

Daniel Basilio disse...

Que bonito... Que bonitaa!
Gostei da formatação nova também, das fotos inseridas, de tudo! Cancerianos nós dois? Haja mundo pra isso, né?!
Beijooos, srta!