21.1.09

melodrama

prepara o salto aperta
a bolsa contra o peito
tanto faz o guarda-chuva
se ele voa com o corpo
depois vai com o vento
de frágil já basta esse
céu nublado e falta de foco
acho que se eu gritasse agora
ninguém me ouviria
nenhum pássaro no céu
a cidade em pleno verão
é só labirinto e chora feito
criança sobre meu ombro
(se isso fosse um filme
correria pros seus braços
e giraríamos sorrindo
em câmera lenta)

letreiros piscando
eu sempre vou embora
furando a multidão

4 comentários:

sabugosa disse...

caramba, quanta chuva
aqui o céu anda limpo até demais
e hoje abrindo a janela pra jogar a guimba fora
vi que o pára-peito é no fundo pára-perna
e deu vontade
daí logo depois li esse teu poeminha
só tem conhecidência nessa vida
(de qualquer forma, aqui acho que se berrasse todo mundo ia ouvir)

André F. disse...

basta um dia.
e avisei que a cidade era um vão...
bjos e saudades

Ícaro disse...

sua poesia tá cada vez melhor.
salta olhos.

Edgard Profecter disse...

a espera do proximo