8.10.07

Samba torto

Arranha na garganta
Essa coisa sem jeito
Meu olhar com defeito
Meu afeto desfeito.

(Me faz uma coisa ao avesso
Me tira do peito esse soco
Me vira de ponta-cabeça
Inventa de mim o afeto direito!)

Me rasga, me toma
Escangalha essa trama
Cria de novo o meu drama
Escangalha, estraçalha, e depois abandona.

Um comentário:

Isabelle disse...

Esse é aquele desejo sambado em mil carnavais...é a allma querendo sair da pele atraida pela a alma da outra pele...
Profunda e demais Diana: Belo samba!