1.11.07

Borralheira, a gata

Olha ela ali. Eu sabia que ela vinha, eu sabia. É das minhas, não resiste a um pé sujo. Suja. Até que esse arzinho dá uma graça a mais pra ela. Se encaixa, que nem feijão com arroz. Uhm, a gatinha começou pela cerveja, direto do gargalo. É pra me provocar, putinha. Cínica, finge que não vê meu olhar pra ela, faz de conta que não é pra mim que vira aquele líquido amarelo na boca, direto do gargalo, e passa a língua no canto do lábio pra limpar a gota que escorre. Limpa não, beibe, eu gosto da boca molhadinha. Ela cruzou as pernas, coisa linda de deus. De meia-calça preta, com a linha puxada de mulher vivida. Decotezinho e salto alto. Vermelho. Eu gosto. Pede outra cerveja e se olha no espelhinho que carrega na bolsa. Coisa de mulher, você sabe. Bebe mais, bebe. Tá ficando soltinha. Mulher combina com cerveja mais do que com espelhinho de bolsa. Par perfeito, que nem feijão com arroz, melhor só se for comigo junto. Quero elas juntinhas, imagina só: eu, a gostosa e a loira do gargalo. Que estrago, meu deus. Os olhos dela são grandes, queria que me engolissem, assim, todinho, só de uma vez. Tinta preta nos cílios, combina com os olhos carnívoros e a meia-calça gostosa. Mais cerveja, tá ficando doidinha. Pira, gostosa, pira. Passa a língua no lábio, cruza as pernas, ah a meia-calça. Decote e salto alto. Vermelha. Joga os cabelos, finge que não me vê, retoca o batom. O espelhinho. A cerveja, meus olhos nos lábios, pernas pretas de salto vermelho, decote, putinha do espelho, tô te vendo honey, me deixa louquinho, bebo você todinha, gosto do líquido que escorre, amarelo vermelho preto, isso, isso, agora olha pra mim, diz que tudo isso é pra mim, as pernas, a meia-calça, decotinho e salto alto, olhos grandes, lingüinha no canto do lábio, diz pra mim, senão eu piro, beibe, eu piro em você.

4 comentários:

Alexandre Bräutigam disse...

Temos estilos bem diferentes de escrita, vc se fia mais ao cotidiano urbano. Mas sempre é uma boa surpresa vir te visitar aqui. :)

Interessante ver uma mulher entrando no imaginário masculino. Tem caras q são bem assim mesmo! hehe

bjin!

(e sim, vc conhece aquela poesia, foi a primeira a lê-la. ^^ )

Isabelle D'Avila disse...

Fantástico texto! Você captou uma cena do urbano, talvez até suburbano ao caso - essas cenas tão ricas e desapercebida! Mesmo que do teu imaginario. Tua escrita está ótima! Vejo tanto Caio espelhado em você, em mim...

inescrituras disse...

Inês curtiu demais isso...

inescrituras disse...

Inês curtiu demais isso...