4.7.11

das fotografias não tiradas

(1) um travesti, vestido com uma saia de bailarina multi colorida e um top claro, se equilibra com rara delicadeza no sapato de salto tentando se ver no reflexo do vidro de um restaurante a quilo.

(2) uma menina albina está de pé no metrô. sua roupa é toda colorida, contrastando com a pele e o cabelo preso por tranças e um rabo de cavalo. ela segura, com uma das mãos, a barra metálica do vagão e, com a outra, um bombom de chocolate branco, já sem o papel que antes o envolvia. zoom no rosto: o bombom é exatamente da cor do seu cabelo.

(3) em frente à faixa de pedestres, pai, mãe e quatro filhas esperam alegres o sinal fechar. três delas, trigêmeas de cerca de 17 anos, têm o cabelo comprido preso no alto da cabeça por um rabo de cavalo, vestem havaianas, bermudas jeans do mesmo modelo e blusas de alça coloridas, cada uma de uma cor: rosa, amarelo e laranja. duas delas estão de mãos dadas, exibindo pra si e pra mundo sua proximidade. elas parecem não fazer a mínima ideia de que são pessoas diferentes.

(4) na mesa de uma lanchonete árabe estão sentadas quatro pessoas. de costas pra mim, dois homens; de frente, duas mulheres. uma delas estica o braço e mostra para um dos homens, que traz no corpo um suspensório verde que parece ter estado sempre lá, o retrato que acabara de tirar dele. de forma que a imagem do rosto do homem e suas costas, também verdes, se exibem ao mesmo tempo para a câmera que não tenho em mãos. 

(continua...)

Nenhum comentário: